TALMIDIM DE YESHUA!

TALMIDIM DE YESHUA!

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

PARASHÁ SHEMÔT (NOMES).

Ola amados do Eterno D-us!  O D-us de Abraão, Isaque e Jacó que nos ama a ponto de ter enviado seu filho amado para morrer em nosso lugar! Shalom!
Começamos hoje o livro de Êxodo, escrito no ano de 1706 antes do Messias por Moisés, é um livro que consideramos histórico e legislativo, pois conta a história de Moisés, as pragas, a saída do povo do Egito, a abertura do mar vermelho e a entrega da Torah ao povo israelita. Após começamos a ver uma seqüência de leis morais, religiosas e civis, dentre outras, que nos indicam o que é o pecado e como nos afastar dele. Entender os princípios da lei pode nos ajudar na santificação, lembrando que seguir leis por seguir é o mesmo que se tornar um legalista, mas obedecer pela ação do Espírito santo, por que seu coração arde e deseja muito se santificar para o Senhor é ser como Abraão e outros que amaram o Senhor de todo o seu coração, alma e entendimento. Dt 6:4.
A parashá começa falando sobre como se deu inicio a escravidão do povo de Israel no Egito, sobre o seu crescimento e sobre o medo do Egito em ser tomado por essa nação. No versículo 12 a Bíblia relata que quanto mais Faraó afligia os Israelitas, mas eles cresciam! Hoje não é diferente, basta estar com o Senhor à frente!
Uma ordem de faraó as parteiras dizia que elas matassem todos os meninos que nascessem das israelitas, mas elas temeram ao Senhor e não fizeram isso. Ao serem cobradas disseram a faraó que as israelitas davam a luz rápido demais e quando elas chegavam os bebes já haviam nascido.
Observe que há um principio de obediência aqui! As parteiras só desobedeceram a faraó, por que a primeira obediência é dada a D-us. Nunca desobedeça aos seus líderes, seja em que esfera for! Mais se a ordem for contra as palavras de D-us, sua obediência maior é ao mestre, ao Messias, a D-us!
O resultado foi que D-us deu as parteiras suas próprias famílias.
Nasce Moisés, varão da tribo de Levi. Sua mãe o esconde por 3 meses, mas é obrigada a colocar o menino em uma cesta preparada entre arbustos no rio Nilo, pois era sabido que faraó mandará matar todos os meninos israelitas no rio Nilo. O bebe é encontrado pela filha de faraó.
Esse é um milagre que ás vezes passa despercebido. O líder Tiago, da MORESHETYESHUA nos lembra:
Os meninos deveriam ser jogados no Nilo, portanto qualquer homem que visse o menino automaticamente o jogaria de vez no rio.
A cesta apesar de ser preparada para não afundar poderia simplesmente virar e jogar o menino ao fundo do rio.
A pessoa certa o encontrou, uma mulher que poderia manter sua vida, pois era filha de faraó e tinha poder para isso. A irmã de Moisés, Miriam(  mesmo nome de Maria, mãe de Yeshua, que não sabemos o porque foi traduzido na Bíblia por Maria...!) que observava de longe ofereceu ajuda, para buscar alguém que o pudesse amamentar. Ela busca sua própria mãe.  
Moisés foi o nome dado ao menino. O significado é “  tirado, tirando”. Ele é profético, pois ele tiraria seu povo do Egito. Alem disso ele foi tirado da água, o que pra mim, Juliano, me lembra o batismo. È apenas uma lembrança......aqui não tem fundamento, pois Moisés ainda não conhecia D-us e o batismo é uma representação do arrependimento, que ele não tinha condição de exercer, pois era uma criança. E o batismo é antigo no judaísmo, vem do banho de purificação, que veremos ser introduzido pela Torah.
Moisés cresce e um dia deseja ir visitar o seu povo. Ao chegar vê um egípcio maltratar um irmão seu e o mata. No dia seguinte ao fazer nova visita encontra dois israelitas brigando e intercede na briga e é acusado de matar o egípcio. Com medo, sabendo que faraó o mataria ao saber do caso resolve fugir para Midiã.
Ao interceder em uma injustiça em um poço conhece a sua mulher Zípora e vai morar com seu sogro Jetro (Reuel). Moisés tem um filho de nome Gérson.
O povo de Israel clama ao Senhor e Ele houve. Ele se lembra do concerto com Abraão.
Moisés pastoreava as ovelhas quando observa de longe um espinheiro que pegava fogo, mas as chamas não consumiam os galhos. Curioso resolve se aproximar, mas D-us o manda tirar as sandálias, pois ali era local santo. D-us se apresenta como o D-us de Abraão, Isaque e Jacó e Moisés cobre seus olhos por temor de ver o Senhor.
D-us relata que vê a aflição de Israel e que os levará para uma terra que emana leite e mel. Nosso futuro, seja nessa terra ou no céu, será ao meio de leite e mel, na presença do nosso Senhor. O que vale a pena lutar não esta aqui, e sim ao lado do Senhor.
D-us diz a Moisés que usaria ele para livrar seu povo do cárcere. Moisés diz quem é ele para isso, mas D-us o responde que iria com Ele. Não devemos julgar ninguém, muito menos Moisés, mas a presença do Senhor tem que nos bastar. Por mais difícil que seja sempre se lembre disso! Moisés experimentou isso e desde esse momento não se afastou do Senhor.
D-us promete que o povo iria adorar a Ele naquele monte, o monte Sinai.
Moisés pergunta como deve apresentar o Senhor no meio dos israelitas. D-us diz que seu nome é: EU SOU O QUE SOU! D-us é mais que um nome, mas esse nome responde que Ele pode ser o que você quiser! Você precisa de paz, de amor, de carinho, de um amigo? Ele pode ser tudo isso! Mas como chego a esse D-us? Bom meu mestre disse uma vez: “  Eu sou o caminho a verdade e a vida, ninguém vai ao pai se não for por mim”. Seu nome? Yeshua (Jesus).
Mais no versículo seguinte ele diz que deverá ser chamado como o D-us de Abraão, Isaque e Jacó. D-us manda Moisés ir aos anciãos de Israel e dizer que o Senhor estava atento ao sofrimento deles e que os iria resgatar, para terra prometida a Abraão. Depois Moisés e os anciãos deveriam ir ao faraó e dizer que o Senhor D-us deles havia os mandadoeles saírem no caminho de 3 dias em direção ao deserto para o adorarem, mas o Senhor avisa a Moisés que ele, faraó, não permitirá que eles vão , nem ainda por mão forte, mas o Senhor estenderia a sua mão e feriria o Egito e assim o povo seria livre. Ao saírem do Egito, eles não sairiam de mãos vazias, mas levariam vasos de ouro, prata, tecidos, como despojos da vitória do Senhor sobre o Egito.
Moisés tem medo e diz ao Senhor que eles poderiam não acreditar nele. D-us da a ele 3 milagres para fazer. O primeiro é o bastão que vira cobra, o segundo uma mão leprosa e sadia ao toque no peito e o terceiro, a água que vira sangue ao ser derramada do copo. D-us diz que se eles não ouvissem a voz de Moisés, creriam nos milagres.
Hoje ainda é assim...temos que ver para crer. Só que tenho um recado pra vocês, o inimigo também pode fazer maravilhas. 2Co 11:14-15. Veremos a frente os magos de faraó reproduzindo os milagres de D-us! A fé, a fidelidade não é simplesmente alcançada por ver, mas por conhecer o D-us verdadeiro.
Moisés diz que não é bom com palavras, e D-us pergunta a ele quem fez a boca do homem? Quem fez os surdos, mudos e cegos? Por acaso não foi o Senhor? D-us quando pede algo, nos capacita para fazer, ou por acaso existe algo difícil para o nosso D-us? Jr 32:17
Moisés pede que Ele mande outro e D-us se irrita com ele. Ele o avisa que Arão, seu irmão será sua boca e que eles se encontrariam em breve. Moisés não quer ser insubmisso a D-us, ele ta morrendo de medo mesmo. O medo é natural e muitas vezes nos tira de situações perigosas. Não julguem Moisés nem ninguém. O livro de Romanos, nos capítulos 1-3 ensina essa lição.
Moisés pede autorização a Jetro para ir ao Egito encontrar os seus. Veja como Moisés se porta de maneira correta, debaixo da autoridade, ele age como bom liderado, com respeito a quem esta sobre ele.
Moisés parte em direção ao Egito, mas no caminho D-us o revela que endurecerá o coração de faraó para não deixar o povo ir embora, e que Israel é seu filho primogênito, que se faraó recusasse deixar ir seu povo ele pagaria com seu primogênito. Veja que D-us já revela a 10º praga.
No caminho, em uma estalagem o Senhor quis matar Moisés, mas sua esposa Zípora circuncida seu filho e coloca o prepúcio aos pés de Moisés.
Moisés provavelmente não circuncidou seu filho por causa dos costumes que aprendeu durante sua vida egípcia e midianita. Ele estava infligindo o pacto de D-us com Abraão. Zípora entende o furor de D-us e toma a atitude certa na hora certa. Só poderiam fazer parte do povo os que eram do concerto entre Abraão e D-us, nesse momento. Os que iriam embora do Egito com Israel eram estrangeiros.
Moisés encontra Arão no caminho e eles vão até o povo de Israel. Os anciãos crêem e juntos eles vão até faraó.
Faraó houve o pedido deles para irem adorar o Senhor e blasfema. Ele diz não conhecer o D-us de Israel e castiga o povo ainda mais, retirando a palha deles, sendo agora preciso colher a palha e produzir os tijolos na mesma quantidade de antes. Faraó diz que esse desejo de ir adorar ao Senhor é, falta do que fazer. Ele dá essas ordens aos seus empregados e diz que fazia isso para não acreditarem os israelitas em palavras de mentira.
O povo sofre ainda mais que antes e vai até faraó reclamar. Faraó da à mesma resposta, é falta do que fazer, por isso trabalhe.
Observe que a esperança que o povo esperava a mais de 400 anos se tornou mais trabalho e castigos. Israel começou a vacilar, a olhar para trás, a sentir ir embora à esperança, mas D-us é soberano! Ele já havia decretado a vitória, e apesar das lutas, Israel sairia da escravidão. Nós temos a promessa de que aqueles que acreditam no Messias serão co-herdeiros com Ele no tempo vindouro! Nunca se esqueça disso, apesar das lutas.
Israel se queixa com Moisés e Arão. Dizem para D-us julgar essa ação deles. Eles interpretaram como uma gozação, uma brincadeira dos dois com o povo de Israel. Moisés ora a D-us e pergunta por que fizeste mal ao seu povo e por que o enviara? D-us novamente revela o que fará com Faraó.
Irmãos assim começa a história de Moisés, um homem comum, com seus medos e defeitos, mas que conheceu o Senhor e foi modificando sua vida em confiança a esse D-us maravilhoso. Assim é a nossa vida! Conhecemos o Senhor e vamos nos moldando a Sua vontade.
Que o Senhor nos abençoe e nos guarde! Oremos uns pelos outros! Que o amor de D-us nos constranja! Amo vocês no Messias Yeshua! Shalom!  



quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

PARASHÁ VAIECHÍ ( E ELE VIVEU)


Shalom amados do Eterno D-us Adonai,
Estudaremos hoje a parte final do livro de Gênesis. Todas as vezes que terminamos um livro é costume declarar: “CHAZÁK, CHAZÁK, VENITCHAZÊK”! Que significa “ força, força, e sejamos fortalecidos”!
Para ler essa frase em hebraico transliterado, leiamos o CH com som de R. fica algo parecido com “razak, razak, venit-razek”
Oremos para que o Senhor nos faça crescer em fé através da sua palavra, que mostra a glória do nosso D-us e nos faz enxergar o quanto Ele é digno e nós injustos, tornando assim o homem dependente do Senhor, da sua misericórdia e amor.
O texto começa falando sobre a multiplicação da raiz de Jacó no Egito e que ele viveu 17 anos ali naquela terra. Veja como D-us é maravilhoso! 17 anos tinha José quando foi tirado de Jacó, mas 17 anos esteve  Jacó com José antes de sua morte. Restituição de D-us na vida daquela família.
Jacó faz José jurar que levaria seus ossos assim que morresse para o sepulcro de seus pais. Jacó queria retornar ao local de seu chamado. Veja que após José prometer, Jacó vai orar na cabeceira de sua cama.
Jacó adoece e recebe a visita de José e de seus filhos. Jacó pede os dois filhos de José para ele, como filho dele e participante da herança de Israel. José entrega os filhos e Jacó abençoa os dois, dando a Efraim uma benção melhor que manasses, mesmo Efraim sendo menor em idade.
Veja como D-us faz as coisas: José não viveu em Canaã e portanto não teve direito a uma tribo em Israel, mas ao invés disso, pelo fato da fidelidade de José e de sua obediência, seus filhos foram colocados como tribos em Israel. A herança de José acabou sendo dobrada.
O versículo 20 do capítulo 48 é uma benção recitada até os dias de hoje quando se abençoa uma criança judia. Particularmente abençôo meu filho assim todo Shabat (sábado) quando sentamos a mesa para o Kidush (jantar) da Cabalat Shabat ( celebração do ínicio do Shabat).
Jacó chama seus filhos e abençoa a eles, cada um de acordo com sua conduta em vida e profetiza seus futuros. Observe que Rubén, Simeão e Levi são chamados atenção respectivamente por causa do episódio de Rubén ao deitar-se com Bila, concubina de seu pai e Simeão e Levi pelo episódio do assassinato de Siquém e sua cidade.
Quanto a Judá, observe as profecias direcionadas ao Senhor Yeshua. O cetro não se apartará de Judá!
Para uma busca sobre esse assunto, leia esse artigo dessa sinagoga abençoada, que nos ensina muito sobre a palavra de D-us.
http://www.moreshetyeshua.org.br/_vaiechi.asp

O final da parashá fala da morte de Jacó e da peregrinação do povo a Canaã para enterrar seu corpo. Os filhos de Jacó temem José, e mentem a ele dizendo que Jacó havia mandado ele ter misericórdia dos Seus  filhos, mas José que tinha um coração guiado pelo Espírito de D-us já os havia perdoado e sabia que a justiça deveria ser feita por D-us se Ele julgasse assim necessário e José sabia que era necessário ter passado por isso tudo, para que os próprios irmãos pudessem estar a salvo da fome naqueles dias.
José viveu longamente e fez o povo de Israel jurar que ao sair da terra do Egito, pois D-us os resgataria de lá e tanto Jacó quanto José sabiam disso, que levariam seus ossos de lá para a terra prometida.
José que seguiu o chamado de seus pais sabia que voltaria a terra. A profecia feita a Abraão sobre o tempo de escravidão será o início do livro de Exodo, que trata da libertação de Israel e a busca pela terra.
“CHAZÁK, CHAZÁK, VENITCHAZÊK”!
Que o Eterno nos abençoe e nos guarde! Firmes e fortes, em oração e Espírito sigamos para nossa próxima jornada no maravilhoso mundo das palavras de D-us!
 Amo vocês!      

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

HORÁRIO DOS ESTUDOS DA TORAH.

Shalom irmãos,

Por motivo de força maior e por pedidos dos irmãos, estaremos modificando os estudos para todas as sextas ás 18:00 horas.
Pedimos desculpas aos irmãos pelos ultimos dias em que não podemos estar reunidos, mas estaremos se D-us assim permitir, juntos daqui pra frente.

A paz do Senhor esteja convosco! Com amor!

TABELA PARA ESTUDO DA TORAH

Amados, Shalom!

Algumas pessoas que querem estudar a Torah, independente do grupo de estudo ou da forma de estudo estão tendo dificuldades para acompanhar pela falta ou perda da tabela de referência.
Estou colocando o link da tabela fabricada pelo Ministério Ensinando de Sião, um Ministério abençoado que oferece cursos relacionados a visão Judáico-Messiânica e que oferece on line todos os sábados o estudo da Torah. Eu recomendo esse Ministério, pedindo sempre que os amados orem e busquem sempre confrontar com a palavra todas as informações recebidas, seja de onde for, inclusive da nossa parte.

O link para tabela de estudo é:

TABELA PARA ESTUDO DA TORAH

Que D-us nos abençoe segundo sua vontade! Shalom!

PARASHÀ VAVIGÁSH ( E ELE SE APROXIMOU)

Ola amados do Eterno D-us, Rei dos reis e Senhor dos senhores, bendito sejas!
Estamos quase terminando o livro de Gênesis e veja quantas coisas ricas o Senhor nos revelou não é mesmo? Cada um que esta estudando firme a Torah tem recebido de D-us algo especial que nos alimenta de forma diferente.
Nessa parashá continuaremos o nosso caminho em busca da santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor! (Hb 12:14)
Nesse momento da história de José, Judá esta humildemente pedindo a José que não coloque Bejamim como escravo, pois seu pai morreria se isso acontecesse.
Nesse ponto em especial, eu consigo ver um ministério de Judá, o do arrependimento! Veja que ele deixa claro a José que D-us estava colocando sobre eles a iniqüidade deles mesmos. Judá não queria ver a morte do pai por tristeza e não queria também ver o destino de Bejamim ir pelo caminho do que foi o de José. Deixo claro que essa é uma opinião minha. A mensagem do evangelho é clara: arrependei-vos de seus pecados e retorne para D-us. Por Yeshua ser descendente de Judá, talvez eu perceba isso... mais é apenas uma opinião.
José enfim se revela aos irmãos, pois agora já havia certeza de que eles não eram mais os mesmos que o venderam. Ele retira de sobre os irmãos a culpa, através do perdão e do fato de enxergar a vontade de D-us! Ele sabia que o padecimento dele foi para glória de D-us. Por José ter ido para o Egito, todo Israel foi salvo da fome!
Perceba uma coisa fantástica, a fome assola o mundo moderno e sempre assolou o mundo, mas existiu um homem que venceu a fome, seu nome? José.
Ele manda os irmãos buscarem Jacó e os demais. Faraó fica sabendo e manda carros para ajudar na mudança. José sustentaria o povo por 5 anos ainda, desde a chegada de Jacó.
Jacó despede os irmãos com muitos presentes, em especial para Bejamim e seu pai. Ele manda um recado para os irmãos, que não briguem no caminho. Porque será?
Talvez Rubén os chamasse atenção pelo episódio, ou houvesse julgamento por conta das coisas passadas! Isso já era morto e enterrado! Assim funciona o perdão!
Ao chegar na casa de Jacó, o patriarca não acredita e explode de alegria e deseja ver o filho o mais rápido possível, antes de morrer.
No caminho, Jacó da honra e agradece a D-us em Berseba, com sacrifícios ao D-us de seu pai Isaque. E será que ele fez mais alguma coisa?
Eu acho que sim! Acho que ele tinha dúvida se deveria ir para o Egito! Lembra do chamado de Abraão? Sair de sua terra e ir para terra que D-us ordenou. Ele dava continuidade ao chamado, se mantendo na terra e a conquistando! Mas o Eterno aparece a ele em visão e deixa bem claro a ele que poderia ir em paz, pois o Eterno o traria de volta, sua descendência. E que ele viria José antes de morrer.
Jacó migrou para o Egito com 66 almas mais a dele. José e seus 2 filhos já estavam lá. No total eram 70 hebreus no Egito. Era o começo do que D-us revelou a Abraão, que seu povo seria escravo no Egito. (Gn 15:13).
Sua habitação no Egito foi Gosén, pois era ideal para o cuidado com as ovelhas. Os egípcios detestavam pastores, por isso eles deveriam dizer a faraó que eram pastores, pois assim ele os daria a terra de Gosén.
José encontra Jacó e eles choram. Jacó diz que agora poderia morrer em paz.
José leva seus irmãos diante de faraó e ele os dá a terra de Gosén. José poderia colocar seus irmãos para cuidar do gado de faraó. Depois ele leva Jacó a faraó. Ele abençoa faraó, que se assusta com a idade de Jacó.
 Jacó disse a faraó que teve uma vida pouca e má, dura e trabalhosa. Mas não era Jacó? Por que ele não teve tudo do melhor?
Queridos, Jacó teve o melhor da terra, mas era homem como somos! Sobre ele também esta a maldição de se alimentar do suor da terra! Jacó trabalhou muito e com certeza D-us o abençoava segundo suas necessidades, segundo os seus pedidos, mas ele não ficava orando e jejuando para ganhar uma casa, ele trabalhava e pedia a D-us que o abençoasse.
José sustentou os seus durante seu reinado.
Acabou o dinheiro do Egito e o povo não tinha como comprar comida. Assim o povo foi vendendo para José seus animais, suas terras e por fim tornando-se escravos. Assim o Faraó enriqueceu e dominou todo o Egito por completo.
O povo ainda deveria dar 1/5 da colheita a faraó. Somente os sacerdotes permaneceram com suas terras e suas posses, pois faraó os sustentava.
E o povo? Ficou bravo? A bíblia registra que eles agradeceram José, pois a vida deles era segundo a misericórdia de José na distribuição da comida no tempo de crise, nas trocas por terras e etc...
A parashá termina com o relato de que os hebreus frutificavam e multiplicavam-se muito.

O texto de Ezequiel 37:15-28 fala do retorno de Israel como nação, sem separações entre José e Judá, com um Rei sobre eles, o “rei Davi”, e o povo se arrependeria e retornaria a Ele, respeitando Seus mandamentos e Seus estatutos e toda a terra viria que o povo de Israel era santo e separado ao Eterno.
Tente ler esse texto pensando em futuro, pensando em Yeshua reinando e o povo de Israel finalmente o aceitando como Messias! Aleluia! Esse texto é lindo, não deixe de ler e meditar nele.

O texto de Lucas 6:12-16 fala sobre Yeshua orando em um monte e depois de orar ele descia e escolhia os 12 discípulos. O numero 12 revela as 12 tribos de Israel, as tribos dos filhos de Jacó, que veremos na próxima parashá. O próprio Senhor Yeshua orou para fazer uma escolha. Lembre-se, na sua frente esta o seu D-us e a sua palavra. Ele é luz e ilumina o seu caminho, não deixando você tropeças e escolher coisas ruins para sua vida.

Meus amados que D-us os abençoe os guarde. È sempre uma satisfação estar com vocês!
Que o Eterno resplandeça o seu rosto sobre ti! Nunca cesse de orar! Converse com seu D-us, evite só pedir, ouvir também é bom ás vezes..rs!
Que Adonai tenha misericórdia de ti! E de todos nós que somos dependentes de sua vontade e confiamos na volta do Messias!
Que Adonai te traga a Shalom!

Amo vocês! Evitem faltar, pois ficamos com muitas saudades!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

CELEBRANDO A CHANUCÀ

Amados, Shalom!

Todos temos a tabela de acompanhamento das parashás né? Na tabela, no final dela, temos as datas das festividades. Algumas dessas festas são bíblicas e nos trazem muita alegria ao ter a oportunidade de celebrar. Yeshua celebrou muitas delas e a bíblia nos relata. Ao invés de celebrar festas pagãs e sem sentido como natal e coelinho da páscoa, observemos as festas reais e cheias de significados espirituais.
Bom tomei a liberdade de postar um artigo sobre como se comemora a Chanucá, ou festa da dedicação ou festa das luzes. Ela é relatada em JO 10:22.
Leiam e se fartem das coisas de D-us!
Boa leitura! D-us os abençoe grandemente!

Aprendendo a celebrar a Chanucá!

PARASHÁ MIKÊTS (NO FINAL)

Ola amados do Eterno,
Estudamos a Parashá Mikêts esse sábado e podemos desfrutar de uma grande lição que a palavra nos deu através do Espírito Santo.
Continuamos na história de José, filho de Jacó que se encontrava em uma Cova (cela ou buraco), barbado e sujo esperando para assumir seu chamado.
Faraó sonha 2 sonhos parecidos, onde 7 vacas magras comiam 7 vacas gordas e 7 espigas de milho secas comiam 7 espigas de milho gordas e cheias e procura entender o sonho. Chama seus sábios e adivinhadores e ninguém consegue interpretar seu sonho. Nesse momento o copeiro de faraó se lembra de José e informa a faraó sobre o acontecido no seu tempo de prisão. Faraó manda chamar José, ele é barbeado e mudam suas vestes.
Observem que após anos de prisão injusta José estava preste a ter uma nova mudança em sua vida. Sua mudança veio primeiro na aparência. Agora estava barbeado e de vestes novas.
Faraó diz a José que havia sonhado e ninguém Havia Interpretado, mas que José interpretaria, pois ele tinha esse maravilhoso dom, mas José diz que somente D-us pode fazer isso e da à honra a quem merece o nosso Senhor!
José interpreta o sonho como 7 anos de bonança versus 7 anos de fome na terra. Que faraó deveria escolher um homem que tomasse do povo 1/5 do que a terra desse e guardasse em celeiros, para no ano da fome o povo ter o que comer. Faraó escolhe José, pois “não haveria outro homem em que haja o Espírito de D-us” e coloca José como governador, tendo menos poder apenas que faraó.
José recebe um anel de honra de faraó. José estava começando a ser honrado pelos homens, pois D-us já o via há muito tempo! José passava e o povo ajoelhava.
Faraó muda o nome de José para Zafenate-Panéia e lhe da como mulher Asenate, filha do sacerdote de Om. Dois pontos aqui:
Primeiro, o significado do nome de José dado por faraó é salvador do mundo. Lembra-te alguém? A história de José tem muitos pontos parecidos com a do Messias Yeshua e tem muitos pontos que nos lembram o final dos tempos, mas isso estudaremos mais a frente em outra oportunidade especial.
Segundo, José se casou com uma mulher egípcia e não com uma mulher de sua família ou de família respeitável, mas ele não teve chance, pois faraó a deu e não ele buscou para si.
José tem 2 filhos, Manasses e Efraim. José juntou por 7 anos mantimentos e quando chegou à fome os egípcios e os povos da terra compravam mantimento de José.
Jacó manda os irmãos de José ira a terra do Egito para comprar mantimentos, pois a fome assolava Canaã. Eles vão e apenas Bejamim fica. Ao chegar diante de José eles não reconhecem o irmão, mas José os reconhece e os trata como espias da terra, mandando prender os irmãos. José falava por interprete, assim eles não sabiam que ele entendia o hebraico deles. José arranca deles informações sobre seu pai e sobre Bejamim.  Os irmãos falam na prisão que aquele momento era por que estava caindo sobre eles à angústia de José, pois ele não deram ouvido a angústia dele, agora estavam colhendo a deles.
No 3º dia José manda os irmãos embora e mantém Simeão preso. Os irmãos deveriam voltar acompanhado do irmão menor, assim eles poderiam comprar na terra e José acreditaria neles. José manda devolver o dinheiro deles no saco com mantimentos. No meio do caminho eles descobrem o dinheiro no saco de um deles e temem a represália que poderia acontecer a Simeão e a eles. Os irmãos contam tudo a Jacó e ele proíbe Bejamim de ir com eles resgatar Simeão.
A fome continua a crescer e Jacó acaba cedendo ao apelo de Judá para levar Bejamim com eles até a terra do Egito. Jacó manda presentes e o dinheiro dobrado, para pagar o dinheiro que havia voltado nos sacos de mantimentos. Jacó era justo e não queria ficar com que não era dele. Chegando lá eles são levados a casa de José e ficam com medo, pois achavam que seriam colocados como servos por conta do episódio do dinheiro devolvido nos sacos.  Eles vão até o homem que os levava até a casa de José e esclarecem o fato de não saber como aquilo havia acontecido, mas eles estavam ali para devolver o dinheiro. O servo de José diz que deveria ser presente de D-us, pois o dinheiro deles havia chegado nas mãos dele.
Na casa de José, diante dele, eles ajoelham mais uma vez, para cumprir o sonho de José quando tinha 17 anos. José pergunta pelo pai e abençoa Bejamim. José sai para chorar e volta para jantar. Uma mesa separada é posta em ordem de primogenitura e espanta os irmãos. José come separado, pois era um absurdo comer com hebreus.  Bejamim recebe mais comida que os outros.
No dia seguinte eles voltam todos para casa, com o dinheiro mais uma vez nos sacos, além do copo de prata de José, que o mesmo mandou esconder no saco de Bejamim. No meio do caminho o servo de José os aborda e os acusa de roubo do copo. Judá diz que aquele que havia roubado era digno de morte e que os demais seriam escravos. O copo é encontrado com Bejamim e eles retornam ao Egito.
Ao chegarem José pergunta se eles não sabiam que ele era adivinho e que podia saber onde as coisas dele estariam. Judá humildemente, se lembrando do juramento ao pai, suplica a José que deixe Bejamim ir, pois ele ficaria no lugar.
Assim termina o estudo de hoje. Vimos como os planos de D-us não são compostos de falhas, mas ás vezes é necessário amadurecer, crescer, e isso muitas das vezes , só vem com a dor, por causa da nossa tendência de seguir para o mau, por causa dos nossos pecados. José não abandonou quem era,  mesmo nos momentos difíceis. Agora, parece que ele esta se vingando dos irmãos, mas na verdade ele esta com medo do destino de Bejamim, pois ele queria ter certeza de que os irmãos não faria o mesmo com ele, mas ele será convencido pelo arrependimento de Judá, genuíno!
Não deixe as lutas te cegarem, mantenha os olhos no alvo e siga na direção de D-us! Uma hora as coisas vão chegar para você! Busque primeiro as coisas do reino e as demais serão acrescentadas.
Vamos fazer uma coisa essa semana? Em vez de pedir algo material para o pai, peça arrependimento, autocontrole, paciência, benignidade e os demais frutos do Espírito que estão em Gálatas 5. Se desejar uma porta de emprego, peça sabedoria para estudar e conquistar, para lutar e conquistar, para ir aos locais certos e ter a benção dele. Lembrem-se disso! O evangelho não é uma fábrica de sonhos, um shopping de futuro! O evangelho é amar a D-us e guardar tesouros no céu, onde ninguém pode roubar e a traça não pode destruir!
O texto de 1 RS fala da sabedoria de Salomão, que ao ter 2 mulheres em sua frente brigando sobre a maternidade de uma criança manda cortar a criança em duas. Logo que disse isso à mãe manda que a criança fique com a outra e a falsa mãe manda cortar a criança, pois nem dela e nem da outra. Salomão restitui à criança a mãe verdadeira.
A Brit Chadashá fala sobre o julgamento do Messias, sobre a lavagem de mão de Pilatos e sobre as blasfêmias dos sacerdotes e ladrões no momento em que o Messias expira no madeiro. Enquanto eles blasfemam, nós louvamos, pois foi o sangue dele que nos permitiu ter acesso à vida eterna ao lado do Pai e do Messias!
D-us seja louvado! Bendito sejas o Santo de Israel!
Eu oro para que o Senhor os abençoe e os guarde. Que Adonai faça resplandecer o rosto sobre vocês e que tenha misericórdia de vocês. Que o Senhor nos de a Paz, no nome de Yeshua. Amém! Que D-us nos abençoe a todos! Continuemos firmes juntos no amor do Messias. Um Grande abraço a todos!
Shalom!    

sábado, 4 de dezembro de 2010

FESTA DE CHANUKÁ

Queridos irmãos, a paz do Senhor esteja convosco!

Essa semana não tive tempo de escrever sobre a festa de Chanuká, mas separei 2 textos escritos pelo Rabino Marcelo Guimarães, responsável pelo ministério Ensinando de Sião, que é um homem de D-us e que nos ensina muito através de suas ministrações e textos.
Estamos comemorando essa festa linda que reflete a luz, a luz do mundo que é nosso Messias!
Não deixe de ler, pois certamente você desejará comemorar essa festa bíblica no ano que vem!

D-us te abençoe! Forte abraço no amor do Messias!

Festa de Chanuká I

Festa de Chanuká II

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

PARASHÁ VAIÊSHEV (ELE HABITOU)

Ótimo dia a todos os amados do Eterno! Mais uma vez é uma satisfação poder estudar com os irmãos a palavra do Senhor, Rei do Universo e bendito seja Ele!
A parashá de hoje nos mostra o começo da linda história de José, filho de Jacó e Raquel, um menino mimado e imaturo que seria responsável por muitas bênçãos a Israel. A história de José é parecida com a do nosso Messias Yeshua em muitos pontos, mas falaremos sobre isso em outra oportunidade.
Ela começa mostrando José como um menino fofoqueiro, que gostava de contar as coisas erradas que os irmãos, filhos de Bila e Zilpa, servas de seu pai, aprontavam. Veja que o começo da história é marcado por um defeito muito comum entre nós hoje em dia, o mexerico! Veremos que a fofoca de José era um dos motivos do ódio que os irmãos dele sentiam.
José era o queridinho de Jacó. Possuía uma veste colorida, que normalmente era usada por reis e seu tratamento era diferenciado dos irmãos. Isso era outro fator para o ódio dos irmãos.
 Já batemos muito nessa tecla! Amor de pais a filhos não pode ser diferenciado, pois trará certamente intriga, inveja e outras sementes malignas para o lar! Lembre-se que aos olhos de D-us somos todos iguais, seja eu, você, uma prostituta ou o chefe do morro do alemão. Trate seus filhos igualmente, independente deles serem diferentes.
Além disso, José era um homem de D-us e o Senhor falava com ele por sonhos. José inocentemente ou para se vangloriar contava seus sonhos aos irmãos, e sempre estava nos sonhos em posição superior a eles.
Devemos lembrar que Rubén era o primogênito e José o ultimo deles, tirando Benjamim, portanto José não era o principal na tradição, aquele que herdaria as bênçãos do pai, mas era o homem que ao coração de seu pai mais falava e era o homem escolhido por D-us para dar seqüência à história de Israel.
 Jacó apesar de repreender um sonho de seu filho colocou aquilo no coração, e por dentro já sabia que José era especial aos olhos de D-us.
Tratando de sonhos, planos e outros o meu conselho é que não revele para qualquer pessoa, pois isso pode gerar sentimentos ruins como a inveja no coração do confidente. Ore ao Senhor e Ele colocará a pessoa certa na sua frente se você desejar abrir seu coração. Não se coloque superior a ninguém, pois nosso Messias disse que se queremos ser grandes devemos servir ao próximo e ser o menor de todos.
Certo dia Jacó manda José encontrar seus irmãos no campo e ele obedece. Ao ser avistado de longe seus irmãos tramam matar o menino, mas Rubén convence a jogar José apenas em um poço, pois no final do dia o salvaria.
Ao chegar os irmãos tiram as veste de Rei de José e o lançam em um poço. Ao avistarem uma comitiva de Ismaelitas, Judá resolve com os irmãos vender José por 20 moedas de prata. José é levado e quando Rubén chega se entristece, pois planejava salvar José. Os irmãos resolvem matar um cabrito e sujar as vestes de José com sangue, para parecer que ele havia morrido vítima de um ataque animal. Jacó fica depressivo e diz que até o final da vida choraria a morte do filho. Não aceitou consolação de nenhum dos filhos.
Todo o amor de Jacó tinha ido embora... Raquel, José...E agora? Quem seguiria o chamado de Abraão? Quem seria aquele que o substituiria nos planos de D-us? Jacó tinha sofrido um grande baque. Mas D-us é fiel.
 José é levado ao Egito.
A minha pergunta é a seguinte: Foi benção ou maldição José ir para o Egito?
Benção, pois veremos na frente que através deles a semente de Jacó sobreviveu à fome. Benção, pois José precisava crescer e amadurecer. D-us estava com ele.
A bíblia entra na história de Judá, homem que é muito criticado hoje por suas condutas, mas que eu particurlamente vejo como uma história de erros e arrependimento.
Judá se casa com uma mulher de Canaã e tem 3 filhos, Er, Onã e Selá.
Já discutimos sobre os perigos dos servos de D-us se casarem com mulheres que vivem realidades diferentes de nós. A chance de viver em caminhos errados pode ser grande.
Judá arruma uma mulher para seu filho Er. O nome da moça era Tamar e se casa com Er, porém esse era mau aos olhos do Senhor e o matou.
Nesse ponto podemos especular sobre um detalhe: Os filhos tendem a ficar mais perto da mãe e automaticamente acabam adotando alguns costumes dela. Er e seus irmãos talvez não tenham conhecido o D-us de Israel ou preferiram outros deuses. Talvez tenham seguido a cultura e orientações da mãe.
Claro que isso não é regra prática, mas mães devem tomar cuidado, pois pelo maior contato acabam sendo muito responsáveis pelos costumes e aprendizados dos filhos. A responsabilidade disso, porém cabe ao casal.
Como a tradição mandava Judá deu Tamar a Onã e esse deveria ter um filho com ela, para suscitar semente ao seu irmão.
Er morreu e sua linhagem morreria com ele, já que não possuía filhos, mas seu irmão deveria assumir seu lugar e seu primeiro filho seria a continuação da linhagem do irmão falecido, sendo os próximos filhos da linhagem do atual pai.
Onã não queria fazer isso e ao ter relações com Tamar ejaculava na terra e isso foi mau aos olhos do Senhor que o matou.
Onã de certa forma traia seu irmão.
Judá teve medo de perder também a Selá e mandou Tamar de volta à casa do seu pai como viúva até que Selá fosse adulto. Judá intentava não mandar Selá.
Morre a mulher de Judá e ele após ser consolado sobe para tosquiar suas ovelhas.
 Tamar fica sabendo que seu sogro vinha em direção à cidade, se arruma e cobre seu rosto e se passou por prostituta, pois sabia que Judá não mandaria Selá para ela, assim ela precisaria resolver o problema de sua viuvez.
Judá a encontra no caminho e deseja ter relações com ela. Ela pede algo em troca e ele diz que mandaria um cabrito a ela. Ela pede garantias e ele deixa com ela seu anel tipo brasão de família, cordão e o cajado.
Eles acabam tendo relações e ela engravida. Judá manda o cabrito, mas ninguém sabe onde esta a prostituta.
Você já pensou se Tamar não engravida? Se isso não acontece, a linhagem de Yeshua não seria essa que lemos em Mateus capítulo 1. Tamar faz parte da ascendência de Yeshua.
Depois de 3 meses vem à notícia de que Tamar estava grávida. Judá quer queimar a moça por traição aos seus filhos, mas ela diz que aquele que teve relações com ela era o dono do anel, colar e cajado. Judá afirma que ela era mais justa que ele, pois não havia cumprido a palavra com ela em relação aos seus filhos.
Veja o problema disso: O sogro teve filhos com a esposa de seus 2 filhos... Judá pra fugir de um problema arrumou logo um monte, mas se arrepende e se considera culpado em seu julgamento, já que declara Tamar mais justa do que ele.
Nascem de Tamar gêmeos, Perez e Zerá.
Voltando a José, este é vendido a Potifar, oficial do faraó. D-us estava com José e Potifar o coloca como senhor de sua casa, pois via nele que D–us o abençoava em tudo. José passa a ser o 2º da casa.
A mulher de Potifar se encanta com José e quer ter relações com ele. José se nega e ela tenta agarrar-lo, mas ele foge deixando sua capa na mão dela. Frustrada a mulher acusa José de tentativa de estupro e Potifar manda prender José.
José declara que pecaria contra D-us se fizesse aquilo, trair seu patrão. José queria fazer algo certo e amargou uma prisão. Nas nossas vidas isso pode acontecer, e às vezes dizemos assim: “Poxa antes tivesse feito aquilo, hoje não estaria aqui”. Mas eu afirmo a você que melhor é estar na prisão de coração limpo do que na bonança longe de D-us!
Na cadeia D-us ainda estava com José e ele acaba caindo nas graças do carcereiro. José estava sendo provado e forjado para alcançar a vontade de D-us.
Na prisão José interpreta os sonhos do copeiro e do padeiro de faraó que haviam sido presos.
O copeiro seria restaurado ao cargo, e José pediu que ele intercedesse por ela junto a faraó. O 2º seria morto pelo rei.
Acontece o que José prevê e o copeiro esquece do pedido feito a ele.   
Esse é José, um homem como nós, que passou muito amargo, mas que venceu assim como nós vencemos e venceremos!
Hoje é dia de parar e enxergar um pouco dos nossos objetivos. Quem queremos ser? O que queremos fazer? Quem somos nós?
O que você quer ser? Um homem submisso a vontade de D-us, sabendo que prisões podem vir injustamente, mas D-us estando com você, ou o mundo fantasioso e enganador?
O que você quer fazer? Quer viver uma vida de santidade dedicada ao Senhor e a sua vontade ou quer viver os prazeres do mundo?
Quem você é? Servo de D-us de verdade, se colocando a disposição ou apenas um curioso que acha bonito a palavra de D-us, quer as bênçãos e o escudo rotulado de Cristão?
Temos que nos decidir, afinal D-us deseja homens e mulheres de posição! EU QUERO SER DISCÍPULO, ainda sabendo que posso receber prisões, cruz e chicotadas! Seja feita a vontade de D-us!
Que o Senhor nos abençoe e nos guarde! Tenha misericórdia de nós e nos de sua paz!
Um abraço a todos! Oremos uns pelos outros!  

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

PARASHÁ VAYISHLÁCH (ELE ENVIOU)

Bom dia amados do nosso Eterno D-us!
Peço perdão pela demora ao postar o estudo, mas infelizmente tivemos alguns problemas essa semana que nos atrasaram e nos dificultaram a vida, mas peço que não cessem de orar pela nossa família e pelas nossas vidas.
A parashá começa com o dilema de Jacó, que para obedecer à ordem de voltar para casa, teria que enfrentar seu irmão Esaú, que tinha um sentimento ruim contra ele e desejava a sua morte na época que ele saiu para Harã.
Jacó envia mensageiros para Esaú avisando que ele ia ao encontro do irmão e em forma de servo, respeitando a primogenitura de Esaú, deixando ele de lado o negócio em que ele havia comprado a primogenitura do próprio Esaú. A resposta era que Esaú vinha com 400 homens ao seu encontro.
Imagine o medo de Jacó! A Bíblia diz que Jacó se angustiou e temeu muito. Então ele separou o seu povo em 2 bandos, já se preparando para uma possível luta ou fuga.
Jacó ora a D-us e fala da promessa de D-us para a vida dele e se coloca como servo diante do Senhor e se coloca pequeno diante de tudo que o Eterno já o havia beneficiado. Jacó pede que o Pai o livre do irmão.
Jacó separa presentes para o irmão e separa em vários bandos, mandando um a cada distância para acalmar o coração do irmão. Jacó dorme!
Veja que apesar da luta ele descansou, ele colocou nas mãos de D-us seu problema e descansou, afinal D-us já havia prometido a vitória!
Na madrugada seguinte Jacó atravessa os seus no vau do Jaboque.
Jaboque era um rio e seu significado era esvaziou. Jacó estava pronto para se esvaziar dele mesmo e conhecer a salvação como verão a seguir.
Ele fica para trás e luta com um homem até o por do sol. Vendo o homem que não podia vencer, tocou a juntura da coxa e Jacó o segurou. O homem pede que ele o largue, mas Jacó exige receber a benção. O homem troca o nome de Jacó para Israel, porque ele havia lutado com D-us e com os homens e prevalecido. Jacó pergunta seu nome e Ele não responde, apenas abençoa. Jacó chama aquele lugar de Peniel, por que havia vido a face de D-us e sua alma havia sido salva.
Vamos analisar essa parte. Eu creio, mas não posso provar que nesse momento Jacó estava frente a frente com Yeshua. Essa luta em particular com D-us não foi física, mas espiritual!
 Jacó queria a benção há muito tempo! O primogênito era o herdeiro da benção!
 Vamos ver o que ele fez?
 Bom primeiro agarrou o tornozelo do irmão no nascimento, tentando o trazer pra dentro, querendo ele ser o 1º. Depois enganou o irmão para comprar a primogenitura. Depois enganou o pai e recebeu a benção no lugar do irmão. Esaú era caçador, e quem caçava nas famílias antigas eram os filhos menores e os servos, o primogênito era o administrador e senhor, Jacó era homem calmo que habitava tendas! Jacó não se casou com mulheres da terra, sempre se portou como aquele que queria a benção!
Jacó lutou muito pela benção! Acho que o sentido correto da luta com D-us é esse!
Realmente ele lutou com um homem e para mim esse foi Yeshua, pois Ele teve autoridade para mudar o nome de Jacó para Israel, que significa príncipe de D-us, ou aquele que luta com D-us, Jacó diz ter visto D-us face a face e ali diz que sua alma foi salva! Ao perguntar o nome do homem esse se esquivou, mas o abençoou. Não posso afirmar que seja isso, mas eu creio que o Senhor esteve ali com o patriarca de Israel.
Por que Jacó se esvaziou( Jaboque)? Bom, vejamos os fatos:
Jacó ali realmente conheceu e se entregou ao Senhor! Ali ele abriu mão de suas forças e deixou D-us trabalhar em sua vida, seu irmão vinha em direção a ele, com 400 homens e agora ele estava ferido na coxa, entregue a vontade de D-us, apenas confiando nele, aliado a obediência. Para mim FÉ.
O encontro é tremendo e uma guerra foi trocada por lágrimas e carinho. Isso não é normal, como podemos ver em Obadias, Edom( Esaú) era inimigo de Israel e  chegava a ajudar no saqueio de espólios de guerra contra Israel. Esse foi um raro momento de paz entre essas duas nações, graças ao Senhor D-us!
Jacó coloca seus filhos em ordem de importância...... José e Raquel são os últimos da fila, e os mais protegidos....veremos La na frente que José acabou sendo um menino mimado, que teve que crescer através de muito sofrimento.
Jacó apresenta sua família e resolve ir devagar, pois havia muito gado e crianças. Esaú vai à frente e leva os presentes que Jacó o deu, após muita insistência.
Jacó para em Sucote e habita ali. Depois vai a Siquém, lugar aonde Abraão chegou pela 1º vez em Canaã e ali faz um altar ao Senhor e ali habita após comprar um campo dos filhos de Hamor
Diná sua filha resolve explorar a região e é estuprada por Siquém, filho de Hamor.
Hamor se apaixona por Diná e a Bíblia não deixa muito claro se ela também se apaixonou por ele, pois a expressão “falou afetuosamente a moça”, que está no final do versículo 3 do capítulo 34 em hebraico significa “falou ao coração da moça”.
Siquém pede ao pai Hamor que peça Diná em casamento. Jacó ao saber do acontecido se cala e espera os filhos voltarem do campo. Ao voltarem eles se entristecem muito.
Hamor pede Diná em casamento para Siquém a Jacó. Ele oferece a terra, os negócios e as facilidades. Siquém oferece o pagamento do dote independente do valor.
Jacó ali podia jogar fora seu chamado e se aliar ao povo idólatra, correndo a chance de se contaminar.
Seus filhos maliciosamente dizem que não podem permitir, pois eles eram incircuncisos e que antes deveriam fazer a circuncisão. Eles aceitam e todo povo se circuncida. No 3º dia, o pior dia do ferimento Simeão e Levi invadem a cidade e matam todos os homens e saqueiam todo o arraial.
Jacó teme o povo da terra após essa mortandade e exorta os filhos, que se defendem dizendo que era a honra de Diná.
D-us manda Jacó para Betel, lugar onde Ele apareceu pela 1º vez a Jacó.
Jacó manda seu povo se livrar de todos os deuses estranhos. Veja bem, as mulheres de Jacó e seus servos vieram de Harã e ainda deviam ter costumes pagãos.
Jacó enterra os deuses estranhos. Eles partem para Betel e ninguém ousou tocar no povo de Jacó, apesar da matança do povo de Hamor, pois o temor de D-us foi sobre eles.
D-us aparece a Jacó, chama-o de Israel e faz as promessas de Abraão a Jacó. Jacó ergue uma coluna e derrama sobre ela azeite.
Não pense que o azeite era um artigo normal e barato, era cara e da melhor qualidade.
Partindo para Efrata( Belém), Raquel entra em trabalho de parto. O parto é complicado e Raquel morre. O nome do filho fica como Benomi, que significa filho da minha dor, mas Jacó muda o nome para Bejamim, que significa filho da minha destra, da minha força.
Jacó ergue uma pedra no lugar da sepultura de Raquel e parte para Efrata.
Ruben tem relações sexuais com Bila. Veremos no que isso vai repercutir lá na frente.
Jacó vai até Isaque e esse morre aos 180 anos, fartos de dias. Esaú e Jacó sepultam seu pai.
A parashá termina com a descendência de Esaú (Edom).
Queridos, essa parashá nos trás muitas lições! Continuemos a estudar e a praticar os ensinamentos do Pai, ainda que sejam difíceis nesse mundo tão cruel! No final herdaremos com o Messias a vida eterna! Lembre-se que fé sem obras é morta! Obedecer por amor e confiar no que nos perdoa e nos salva!
Que D-us nos abençoe e nos guarde!
Shalom!

     


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

PARASHÁ VAIÊTSEI (PARTIU)


Ola amados do Eterno, que a Paz do nosso Senhor Yeshua esteja convosco!
Continuamos a estudar os textos bíblicos e a aprender juntos quem é o nosso D-us e toda a sua grandeza manifesta! Por isso louvamos e bendizemos o nome do Santo, bendito sejas!
Nessa parashá vemos que Jacó esta fugindo de Harã por causa do que fez a Esaú, mas também vemos Isaque abençoando Jacó com a benção de Abraão e com a ordem de buscar uma esposa na casa dos parentes de sua mãe.
Sair debaixo da benção é certeza de sucesso! Toda liderança que esta sobre sua vida tem autoridade para te abençoar! Abençoar é dar autoridade para prosperar em tudo que você tocar!
 Se observarmos bem, Abraão mandou Eliesér buscar uma esposa para Isaque, para que ele não saísse da terra prometida e do chamado dele, mas ele não tem esse cuidado com seu filho Jacó. Será que Isaque negligenciou esse chamado que sua semente assim como ele herdaria? Não! Jacó teve um problema pessoal e isso lhe fez sair da terra.
Mas observe que Jacó teve um encontro com D-us, no seu caminho a Harã, onde ele vê uma escada ligando o céu a terra!
O Rosh Tiago, da congregação Moreshet Yeshua, nos lembra bem das palavras do Mestre : “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao pai se não por mim!”  
Essa escada ligava a terra ao céu, o material ao espiritual, D-us aos homens! Eu consigo ver Yeshua em toda palavra e o glorifico!
Observe que D-us se nomeia por D-us de Abraão e de Isaque, não de Jacó! Ele ainda não tinha tido um contato íntimo com o Eterno! Ali o Senhor promete as bênçãos de Abraão e que Jacó voltaria para casa em paz e que o Senhor o guardaria! Pronto! D-us já havia resolvido a volta de Jacó!
Jacó faz um voto para D-us e ergue a Ele um monumento de pedra e coloca o nome desse local Betel, que significa casa de D-us!
Jacó chega a Harã e conhece Raquel! Raquel conta a Labão seu pai sobre Jacó e ele é levado a ficar em sua casa. Após 1 mês Labão pergunta a Jacó qual seria seu salário para trabalhar com ele e Jacó apaixonado promete trabalhar 7 anos para casar com Raquel! A Bíblia diz que esses 7 anos passaram como poucos dias, tamanho o amor de Jacó! Após 7 anos Jacó se casa e no momento da relação sexual ele é enganado e acaba dormindo com Léia. Observe que Jacó foi enganado e não o enganador dessa vez! A lei da semeadura mostra que o que plantamos colhemos! Jacó foi enganado provavelmente pela ausência de luz e excesso de roupas do ritual casamentório judaico antigo.
Jacó reclama a Labão que diz que a tradição era a mais velha casar primeiro, mas que Jacó poderia se casar com Raquel trabalhando mais 7 anos. Jacó aceita.
Começam a nascer os filhos de Jacó. Raquel assim como Rebeca e Sara era estéril.
Léia era deixada de lado por Jacó e D-us vendo isso fez com que Léia engravidasse. Nasceram Rubens, Simeão, Levi e Judá.
Raquel vendo isso reclama a Jacó que se não tivesse um filho morreria! Mas Jacó a repreende e diz que somente D-us poderia fazer com que ela engravidasse. Raquel assim como Sara da sua serva Bila a Jacó, para ter através dela filhos. Nascem de Bila dois filhos, Dã e Naftali.
Léia por usa vez resolve fazer o mesmo, já que não engravidava mais e da Zilpa a Jacó, para ter filhos através dela. Nasce Gade e Aser.
Após esses episódios, Rubens vai ao campo e consegue umas mandrágoras. Raquel implora pelas mandrágoras e acaba vendendo Jacó a Léia por uma noite em troca das ervas.
Mandrágoras acreditam-se ter propriedades afrodisíacas e que ajudava as mulheres a engravidar! Raquel que não conhecia o D-us de Abraão apelou para outras formas de conseguir o que queria e não parou para ver que o D-us de seu marido era suficiente para lhe atender! Lembre da repreensão de Jacó a Raquel.
Por conseqüência D-us abre a madre de Léia novamente e ela engravida. Nasce Issacar, Zebulom e Dina.
Parece que Raquel aprendeu como chamar a atenção do Senhor! Eu acredito que ela começou a orar de coração e D-us ouviu seu clamor! Nasce de Raquel José!
Significado dos nomes dos filhos de Jacó:
Rúben (que significa eis um filho)
Simeão (escuta)
Levi (apego)
Judá (louvor)
Dã (justiça)
Naftali (luta)
Gade (boa sorte)
Aser (feliz)
Issacar (alugado, ou recompensa)
Zebulom (habitação)
Diná (justificada).
José (Ele tirou, ou possa Ele acrescentar)
Depois do nascimento de José, Jacó resolve voltar para casa, para seu chamado e é “impedido” por Labão que o tenta através de um salário melhor.  Labão teve seus olhos descobertos e conseguiu enxergar que a benção que o atingia vinha não por sua causa, mas por causa de Jacó!
Observe que o mesmo Labão tentou frear a ida de sua irmã Rebeca para se casar com Isaque... Gn 24:55
Jacó aceita e combina com Labão que ficaria com os malhados do rebanho de Labão. Ele concorda, mas antes manda os malhados para seus filhos a uma distancia de 3 dias de Jacó. Jacó prepara uma forma de conquistar seu salário, descascando galhos e os colocando de frente ao bebedouro do rebanho, onde normalmente eles cruzavam.
Naquela época acreditava-se que as impressões vividas durante o acasalamento influenciavam a prole, mas lembre-se da promessa do Senhor no começo do capitulo 28:13-15, que foi o que realmente o ajudou! Gn 31:11-12
D-us abençoava Jacó e seu rebanho crescia a cada dia e os fortes eram de Jacó e os fracos de Labão.
Os filhos de Labão e o próprio começam a sentir inveja de Jacó! Jacó recebe ordens de D-us para retornar a terra de seus pais e ele chama suas esposas e diz que é o momento de irem embora!
Suas esposas aceitam e manifestam sua indignação em relação ao seu pai e concordam com sua posição e com a ordem de D-us.
Labão saiu para tosquiar as ovelhas e Jacó nesse momento sai em direção à casa de seus pais. Ele não fala com Labão, pois tinha medo de não poder levar as esposas e seu salário.
 Raquel antes de ir rouba os deuses de seu pai sem ninguém saber. Mas por que ela fez isso?
Não podemos afirmar, mas pelo comentário dela sobre herança quando conversava com Jacó no campo sobre a ida para casa de seu sogro, podemos conjecturar que ela roubou os ídolos por conta de uma tradição antiga que dizia que aquele que tivesse os ídolos era o dono da maior parte da herança. Podemos também conjecturar que ela roubou os ídolos para Labão não receber por esses o caminho da fuga de Jacó.
Labão descobre a fuga de Jacó e sai para persegui-lo. D-us aparece a ele e diz para ele não falar nada a Jacó, nem bem e nem mau. Na gíria, D-us mandou um recado bem claro: presta atenção com quem você vai mexer!  Eu sou o D-us dele!
Labão agora se mostra preocupado com os netos e as filhas, diferentemente de antes da fuga. Reclama a devolução dos ídolos e Jacó afirma que quem tivesse pegado os ídolos seria morto! Labão procura e não acha os ídolos. Raquel senta por cima deles, que estavam na albarda de um camelo e não se levanta alegando estar menstruada.
Jacó reclama com Labão e o expõe na frente de todos às vezes em que foi enganado e que não havia feito nada de errado, já que havia pagado pelas mulheres com seu trabalho e saia apenas levando o fruto de seu trabalho!  Ele da à Glória a D-us, já que afirma que se não fosse o Senhor ele não teria nada do que estava ali agora!
Labão e Jacó fazem um pacto de paz! Labão volta a Harã e Jacó segue para Canaã!
Jacó encontra anjos no caminho e da o nome do local em que estava Maanaim, que significa dois exércitos.
Assim termina a Parashá de hoje! Observe alguns aspectos importantes:
A família de Jacó teve problemas, pois na verdade eram 2 famílias que acabaram se “tornando” quatro famílias. As brigas entre Léia e Raquel são fruto de um casamento onde a atenção era desviada de um para o outro, permitindo assim sentimentos de recusa, inveja, insatisfação e outros... por isso o casamento é uma instituição entre um homem e uma só mulher! Fazendo uma piadinha, ele tinha mais de uma dor de cabeça... RS!
Outro aspecto é a tentativa de Labão em frear os planos de D-us! Podemos enxergar Labão como o adversário, aquele que tenta impedir o caminho dos escolhidos! Ele fez de tudo para impedir o chamado de Jacó, de retornar a terra, mas D-us em certo momento foi até ele e disse que saísse de cena! D-us esta com a gente assim como esteve com Jacó!
Confiem em D-us! Confie em Yeshua! A fé desses homens que estamos estudando é incrível! Eles confiavam no Senhor, criam Nele e cumpriam a parte que os cabia, de ser fiel, de buscar fazer a vontade de D-us! Eles cometeram muitos erros, assim como nós cometemos, mas eles sabiam que existia Um, que era poderoso e fiel e que os salvaria e os abençoaria e os daria a vida eterna!
È só imaginar o dia em que Abraão, Isaque e Jacó forem ressuscitados, no dia do juízo! Eles vão olhar e ver uma multidão de pessoas ajoelhadas em frente ao Messias, que é fruto da semente deles, da promessa de D-us e vão ver a herança que vos cabe, eles vão ver quantos foram salvos através deles, do fruto deles, do Senhor Yeshua! Aleluia!
Que o Senhor os abençoe! Que o Senhor tenha misericórdia! Que o Senhor vos de a Paz! E que a graça do Senhor os alcance e salve a toda sua família! Amém!
Orem constantemente pelo corpo do Messias! Orem por nós assim como oramos por vocês! Somos parte da mesma videira! Aleluia!  

sábado, 6 de novembro de 2010

PARASHÁ TOLDÔT (GERAÇÕES)

Olá amados do Eterno!
A parashá de hoje, Gerações, fala sobre a descendência de Isaque, seus filhos e o começo da vida de Jacó e nos trás muitos princípios importantes para nossa vida perante o nosso Senhor!
Ela começa nos revelando que Rebeca assim como Sara era estéril e que Isaque orou instantemente ao Senhor que a curou e ela pôde assim, conceber gêmeos. Bom, Isaque tinha 40 anos quando se casou com Rebeca e 60 anos quando nasceu Esaú e Jacó, o que dá 20 anos de espera. Isaque realmente orou insistentemente, clamando a D-us em favor de Rebeca. Isaque sabia que D-us era fiel e que a promessa de Abraão seria seu legado e que D-us faria de sua descendência milhares e colocou sua fé nisso! O Eterno também sabia que Isaque ansiava por isso, mas a oração de Isaque fez o Senhor o ouvir.
Atos 12:5 diz que a Igreja orava continuamente por Pedro que estava preso. O Dr. David Stern faz um comentário em seu livro “Comentário do Novo Testamento Judaico” sobre alguns pontos fundamentais da oração, sendo eles:
A oração deve ser intensa, não casual;
Contínua;
A D-us (o que só é possível através do Messias, sem repetições vazias e sem incredulidade)
Específica e não vaga;
Comunitária, como corpo de Cristo;
Alguns versículos que nos mostram esses pontos são Mt 6:8, Jo 14:6, Tg 4:3, Mt 21:22, Mc11:24.
Os gêmeos de Rebeca lutavam em sua barriga e ela pergunta a D-us “se assim é, porque sou eu assim?”. Ela realmente diz aqui que se era assim, por que ela desejou isso, engravidar! Ela apesar de seu leve desespero vai até o Senhor e o consulta! Ela foi atrás de uma resposta e foi Aquele que a podia atender, o Eterno!
O Senhor revela que 2 nações estavam em seu ventre e que eram inimigas! O maior seria dominado pelo menor! Observe que D-us já havia feito a escolha de quem seria aquele a dar continuidade a sua Promessa.
Nasce os filhos de Isaque, Esaú que significa cabeludo e Jacó que significa suplantador, este agarrado ao calcanhar de Esaú.
Esaú e Jacó crescem e são bem diferentes! Esaú era caçador e Jacó um homem simples, habitante de tendas.
A palavra nos diz que Esaú era amado de Isaque e Jacó de Rebeca!
Esse é um erro que não podemos cometer! Não podemos escolher um filho como mais amado! Quando fazemos isso abrimos brechas para o ciúme, a inveja, contenda e colocamos um filho contra o outro! Não podemos interpretar relacionamento como forma de escolha! Se um filho seu, te beija todas as manhãs e o outro mau fala bom dia não significa que você deve amar o mais carinhoso. Significa que eles são pessoas diferentes e se relacionam diferentemente! Cuidado com esse erro, pois ele pode destruir uma família por completo!
O equilíbrio entre o amor de pai, que é um amor condicional e o amor de mãe que é incondicional é importantíssimo! A mãe é o porto seguro do filho e nada faz com que esse amor cesse. Já o pai é o cobrador, aquele que usa um pouco mais de pulso e usa mais a razão em busca de fazer do filho responsável e moral.
Esaú chega cansado de uma caçada e vende a Jacó sua primogenitura! Ele abre mão de uma benção de autoridade dada por D-us em troca de um prato de comida.
Veja bem, isso podemos visualizar em nossas vidas hoje! Quantas vezes vendemos nossos princípios, tomamos atitudes precipitadas por causa de uma situação de momento. Esaú estava com fome e não quis enxergar o futuro de bênçãos que poderia ter, preferiu trocar pelo momento atual. Não podemos negociar os princípios de nossas vidas e nem os princípios de D-us em troca de coisas menores e momentâneas! O nosso futuro, na eternidade é muito mais valioso do que qualquer coisa material e física que nos trás 10 minutos de alegria nesse mundo no qual somos estrangeiros!
Assim como no tempo de Abraão, ocorre uma fome em Canaã e Isaque é obrigado a peregrinar e vai em direção a Gerar! D-us aparece e lhe diz que não vá ao Egito, mas fique na terra que Ele escolher, que Ele seria com Isaque e confirma a promessa de Abraão a Isaque, por que Abraão havia obedecido à voz do Senhor e havia guardado os mandamentos, os preceitos, os estatutos e as leis do Senhor!
Em Gerar, Isaque comete o mesmo erro de Abraão e finge ser irmão de Rebeca. Observe que alguns erros dos pais são repetidos pelos filhos! Temos que ter responsabilidade, pois somos espelhos dos nossos.
Abimeleque ve Isaque brincando com Rebeca, descobre a verdade sobre os dois, exorta o erro de Isaque mostrando a ele as possíveis conseqüências e da ordens para que ninguém os toque.
Veja que a palavra é brincar! Hoje falta alegria nos casamentos e a palavra de D-us nos mostra isso! Precisamos nos divertir em casal e em família.
Isaque é abençoado em 100 vezes por semente! Lembra que quando D-us apareceu a ele e o mandou ficar na terra que Ele escolheu? Lembra que o Eterno disse que o abençoaria? Pois é, D-us promete e cumpre, pois Ele é fiel, ainda que sejamos infiéis. 2Tm 2:13
Isaque enriquece e a inveja dos filisteus faz com que ele seja expulso da terra. Isaque tem vários problemas em relação aos poços cavados por Abraão e por ele.
Abimeleque vai até Isaque e reconhece que D-us estava com Isaque e que ele era o bendito do Senhor! Isaque assim como Abraão dava testemunho do que era ser um servo do Senhor e por isso havia reconhecimento de que ele era bendito do Senhor! Eles fazem um pacto de paz!
Esaú toma 2 mulheres de Canaã para esposa e isso amargura o espírito de Isaque e Rebeca.
Esaú não fez como o próprio Isaque fez! Ele escolheu mulheres da terra, que tinham atos desaprováveis e deuses diferentes. Esaú tomou para si julgo desigual! Além de escolher de forma errada suas esposas ainda escolheu duas! Como foi dito nas parashás passadas, o casamento deve ser uma escolha em julgo igual, para que não haja afastamento dos princípios corretos.
Isaque já estava velho e cego e resolveu abençoar Esaú. Ele pede que o filho cace algo para ele e o cozinhe para que ele lance sobre o filho a benção da primogenitura. Esaú sai para caçar, mas Rebeca que ouve a conversa, manda que Jacó pegue dois cabritos e prepara para que ele levasse a Isaque e recebesse a benção. Ela coloca a roupa de gala de Esaú sobre Jacó e pelos de cabrito em mãos e pescoço, para que Jacó ficasse fisicamente parecido com Esaú.
Isaque tenta de todas as formas possíveis confirmar se era mesmo Esaú, mas acaba sendo enganado por Jacó! Ele abençoa o filho e afirma o que D-us já havia dito, que ele seria dominador do filho mais velho.
Mais a frente à gente perceberá que o enganador Jacó será enganado por Labão! O nome disto é lei da semeadura, onde nós colhemos o que plantamos!
Esaú chega e chora ao saber do acontecido. Isaque afirma a benção que deu a Jacó e que Esaú seria servo de Jacó. Esaú sente raiva e pensa em matar Jacó. Rebeca descobre e manda Jacó até a terra do seu irmão Labão.
Rebeca vai até Isaque e afirma que é angustiada por causa das mulheres de Esaú. Isaque abençoa Jacó e manda ele se casar com uma das filhas de Labão e o despede.
Esaú percebe o erro que cometeu ao tomar esposas de Canaã e comete outro erro para tentar justificar, casando-se com uma das filhas de Ismael.
No texto da Haftaráh, vemos D-us exortando Israel sobre a forma de adoração e louvor que eles estavam dando ao Eterno! D-us quer o melhor de nós e não apenas o que estamos dispostos a dar em nosso enorme egoísmo! D-us deseja o melhor louvor e nada pode estar no lugar do Eterno, como coisa mais importante de nossas vidas! Tudo que toma o lugar Dele em nossas vidas chama-se idolatria!
A Brit Chadashá fala sobre a tristeza de Paulo em relação a Israel. Paulo sabe que a adoção de filhos, a glória, os concertos, a lei, o culto e as promessas são dos israelitas e eles abrem mão disso por não aceitarem o Messias que veio primeiro para eles e depois para gente. Rm 1:16
Paulo fala que os herdeiros de Abraão não são todos os Israelitas! Veja bem, de Abraão saiu Isaque e dele saiu Jacó e Esaú! Alguns seguem a linhagem espiritual de Esaú! D-us escolheu, ele elegeu Jacó! Aqueles que são de D-us foram escolhidos por Ele! A Haftaráh também fala disso!
Irmãos lembrem-se sempre que fomos escolhidos de D-us e devemos honrar ao Senhor!
Continuemos firmes em oração e temor ao Senhor! Orem por nós assim como oramos por vocês! Que o Senhor nos ajude e tenha misericórdia!
Que a graça do Senhor Yeshua, o amor de D-us o pai e a consolação do Espírito Santo esteja conosco até a volta do Senhor Yeshua! Amém!  




sexta-feira, 5 de novembro de 2010

LIÇÃO ATRAVÉS DE UMA CANÇÃO!

ROSA DE SARON - MAIS QUE UM MERO POEMA.

Parece estranho
Sinto o mundo girando ao contrário
Foi o amor que fugiu da sua casa
E tudo se perdeu no tempo

É triste e real
Eu vejo gente se enfrentando
Por um prato de comida
Água é saliva
Êxtase é alívio, traz o fim dos dias
E enquanto muitos dormem, outros se contorcem
É o frio que segue o rumo e com ele a sua sorte

Você não viu?
Quantas vezes já te alertaram
Que a Terra vai sair de cartaz
E com ela todos que atuaram?
E nada muda, é sempre tão igual
A vida segue a sina
Mães enterram filhos, filhos perdem amigos
Amigos matam primos
Jogam os corpos nas margens dos rios contaminados
Por gigantes barcos
Aquilo no retrato é sangue ou óleo negro?

Aqui jaz um coração que bateu na sua porta às 7 da manhã
Querendo sua atenção, pedindo a esmola de um simples amanhã
Faça uma criança, plante uma semente
Escreva um livro e que ele ensine algo de bom
A vida é mais que um belo poema
Ela é real

É pão e circo, veja
A cada dose destilada, um acidente que alcooliza o ambiente
Estraga qualquer face limpa
De balada em balada vale tudo
E as meninas
Das barrigas tiram os filhos, calam seus meninos
Selam seus destinos
São apenas mais duas histórias destruídas
Há tantas cores vivas caçando outras peles
Movimentando a grife
A moda agora é o humilhado engraxando seu sapato
Em qualquer caso é apenas mais um chato

Aqui jaz um coração que bateu na sua porta às 7 da manhã
Querendo sua atenção, pedindo a esmola de um simples amanhã
Faça uma criança, plante uma semente
Escreva um livro e que ele ensine algo de bom
A vida é mais que um belo poema
Ela é real

E ainda que a velha mania de sair pela tangente
Saia pela culatra
O que se faz aqui, ainda se paga aqui
Deus deu mais que ar, coração e lar
Deu livre arbítrio
E o que você faz?
E o que você faz?



video